Sito in Italia dove è possibile acquistare la consegna acquisto Viagra a buon mercato e di alta qualità in ogni parte del mondo.

Haloperidol (402231-07)

POUCO FREQUENTES, LEVES E TRANSITÓRIOS. EM PACIENTES RECEBENDO DOSES MAIORES, ALGUNS EFEITOS ADVERSOS SÃO OBSERVADOS MAIS FREQUENTEMENTE. OS EFEITOS NEUROLÓGICOS SÃO OS MAIS COMUNS.
SINTOMAS EXTRAPIRAMIDAIS: SÃO OS MAIS COMUMENTE OBSERVADOS. COMO OCORRE COM TODOS OS
NEUROLÉPTICOS, PODEM OCORRER SINTOMAS EXTRAPIRAMIDAIS, COMO POR EXEMPLO, TREMOR, RIGIDEZ,
HIPERSALIVAÇÃO, BRADICINESIA, ACATISIA E DISTONIA AGUDA. ESTES EFEITOS PODEM SER REVESTIDOS PELA Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999.
UTILIZAÇÃO DE ANTIPARKINSONIANOS: NOS CASOS GRAVES, PODE SER NECESSÁRIO A INTERRUPÇÃO TEMPORÁRIA OU FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES
DEFINITIVA DO HALOPERIDOL. OS ANTIPARKINSONIANOS DO TIPO ANTICOLINÉRGICOS NÃO DEVEM SER PRESCRITOS DE Solução injetável 5mg/mL
ROTINA COMO TRATAMENTO PREVENTIVO, DEVIDO AO RISCO DE DIMINUIR A EFICÁCIA DO HALOPERIDOL.
Embalagens contendo 5, 25, 50 e 60 ampolas com 1mL.
DISCINESIA TARDIA: COMO ACONTECE COM TODOS OS FÁRMACOS ANTIPSICÓTICOS, PODE SURGIR UM QUADRO DE __________________________________________________________________________________________________________
DISCINESIA TARDIA EM CERTOS PACIENTES DURANTE TRATAMENTOS PROLONGADOS OU QUANDO TAIS TRATAMENTOS SÃO INTERROMPIDOS. USO ADULTO
A SÍNDROME ESTÁ CARACTERIZADA PRINCIPALMENTE POR MOVIMENTOS RÍTMICOS E INVOLUNTÁRIOS DA FACE, BOCA, USO INTRAVENOSO OU INTRAMUSCULAR
LÍNGUA OU MANDÍBULA. OS SINTOMAS PODEM PERSISTIR DURANTE LONGOS PERÍODOS E EM CERTOS PACIENTES __________________________________________________________________________________________________________
MOSTRAREM-SE ATÉ IRREVERSÍVEIS. NÃO HÁ, ATÉ O MOMENTO, TRATAMENTO CONSIDERADO EFICAZ PARA ESTA COMPOSIÇÃO
SÍNDROME. ESTA SÍNDROME PODE SER MASCARADA QUANDO SE REINICIA O TRATAMENTO, QUANDO SE AUMENTA A DOSE Cada mL da solução injetável contém: OU QUANDO HÁ UMA TROCA PARA SE USAR OUTRO AGENTE ANTIPSICÓTICO. O TRATAMENTO DEVE SER DESCONTINUADO haloperidol.5mg SÍNDROME NEUROLÉPTICA MALIGNA: IGUALMENTE COMO OCORRE COM OUTROS MEDICAMENTOS ANTIPSICÓTICOS, Excipientes: ácido láctico, água para injeção, álcool etílico, metilparabeno e propilparabeno.
HALOPERIDOL TEM SIDO ASSOCIADO COM A PRESENÇA DA SÍNDROME NEUROLÉPTICA MALIGNA, UMA REAÇÃO __________________________________________________________________________________________________________
IDIOSSINCRÁSICA CARACTERIZADA POR HIPERTERMIA, RIGIDEZ MUSCULAR GENERALIZADA, INSTABILIDADE INFORMAÇÕES AO PACIENTE
AUTONÔMICA, ALTERAÇÃO DE CONSCIÊNCIA. A HIPERTERMIA GERALMENTE É UM SINAL QUE PRECEDE ESTA SÍNDROME. O Ação do medicamento: A melhora dos sintomas é observada progressivamente com o decorrer do tratamento. O haloperidol não
TRATAMENTO ANTIPSICÓTICO DEVE SER IMEDIATAMENTE SUSPENSO, INSTITUINDO-SE MONITORIZAÇÃO CUIDADOSA E exerce sua ação completa logo após as primeiras doses. Os benefícios são mais amplamente observados após duas a três semanas de MEDIDAS TERAPÊUTICAS GERAIS PARA MANUTENÇÃO DOS SINAIS VITAIS. A TERAPIA QUE TEM SIDO UTILIZADA NOS CASOS tratamento contínuo. Para os sintomas de agitação e agressividade é possível obter melhora logo após as primeiras doses. O tratamento DA SÍNDROME NEUROLÉPTICA MALIGNA CONSISTE NO USO DE DANTROLENE E BROMOCRIPTINA.
com haloperidol poderá produzir sintomas desconfortáveis que podem não justificar sua interrupção. Neste caso, consulte o médico.
OUTROS EFEITOS SECUNDÁRIOS, DE MÍNIMA INCIDÊNCIA, PODEM ESTAR ASSOCIADOS AO USO DE HALOPERIDOL, COM Indicações do medicamento: Delírios e alucinações na esquizofrenia aguda e crônica; na paranoia, na confusão mental aguda e no
alcoolismo; mania, demência, alcoolismo, oligofrenia; agitação e agressividade no idoso; distúrbios graves do comportamento e nas OUTROS EFEITOS SOBRE O SNC: INSÔNIA, INQUIETAÇÃO, ANSIEDADE, AGITAÇÃO, SONOLÊNCIA, EUFORIA, DEPRESSÃO, psicoses infantis acompanhadas de excitação psicomotora; movimentos coreiformes; soluços; tiques, disartria; estados impulsivos e
CEFALEIA, CONFUSÃO, VERTIGEM, CRISES TIPO GRANDE MAL E EXACERBAÇÃO DE SINTOMAS PSICÓTICOS INCLUINDO agressivos; síndrome de Gilles de la Tourette. Náuseas e vômitos incoercíveis de várias origens, quando outras terapêuticas mais específicas não foram suficientemente eficazes.
EFEITOS GASTRINTESTINAIS: ANOREXIA, CONSTIPAÇÃO, DIARREIA, HIPERSALIVAÇÃO, DISPEPSIA, NÁUSEA E VÔMITO. Riscos do medicamento:
CONTRAINDICAÇÕES: ESTE MEDICAMENTO NÃO DEVE SER TOMADO POR PACIENTES PORTADORES DE DOENÇA DE
EFEITOS ENDÓCRINOS: HIPERPROLACTINEMIA COM GALACTORREIA, INGURGITAMENTO MAMÁRIO, IRREGULARIDADES PARKINSON; PESSOAS QUE APRESENTAM SONOLÊNCIA E LENTIDÃO DECORRENTES DE DOENÇA OU DO USO DE
MENSTRUAIS, GINECOMASTIA, IMPOTÊNCIA, HIPERGLICEMIA, HIPOGLICEMIA, MASTALGIA, AUMENTO DA LIBIDO.
MEDICAMENTOS OU ÁLCOOL; PACIENTES COM SENSIBILIDADE EXACERBADA (ALÉRGICOS) AO HALOPERIDOL; EM CASO EFEITOS CARDIOVASCULARES: EDEMA PERIFÉRICO, TAQUICARDIA E HIPOTENSÃO. RARÍSSIMOS CASOS DE DE DÚVIDA, CONTACTE SEU MÉDICO.
PROLONGAMENTO DO INTERVALO QT E/OU DE ARRITMIAS VENTRICULARES, PREDOMINANTEMENTE DURANTE O USO ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES: INFORME SEU MÉDICO SE VOCÊ TIVER DEPRESSÃO, PROBLEMAS NO FÍGADO,
PARENTERAL DE HALOPERIDOL FORAM DESCRITOS COM ALTAS DOSES DE HALOPERIDOL EM PACIENTES PREDISPOSTOS.
EPILEPSIA OU QUALQUER OUTRA CONDIÇÃO QUE POSSA CAUSAR CONVULSÕES (POR EXEMPLO, DURANTE A CURA DE OUTROS EFEITOS: EXISTEM RELATOS OCASIONAIS DE DIMINUIÇÃO LEVE E TRANSITÓRIA DO NÚMERO DE LEUCÓCITOS. PROBLEMAS ALCOÓLICOS); ATIVIDADE AUMENTADA DAS GLÂNDULAS TIREOIDES (HIPERTIREOIDISMO).
AGRANULOCITOSE E TROMBOCITOPENIA FORAM RARAMENTE DESCRITAS, EM GERAL ASSOCIADAS À OUTRAS SEU MÉDICO PODE QUERER CHECAR REGULARMENTE SUA CONDIÇÃO DURANTE O TRATAMENTO COM HALOPERIDOL.
MEDICAÇÕES CONCOMITANTES. CASOS ISOLADOS DE ANOMALIAS DA FUNÇÃO HEPÁTICA, ICTERÍCIA E HEPATITE, MAIS SEGURANÇA E EFICÁCIA NÃO FORAM ESTABELECIDAS QUANTO AO USO EM CRIANÇAS.
FREQUENTEMENTE COLESTÁTICA, TAMBÉM FORAM DESCRITOS. REAÇÕES DE HIPERSENSIBILIDADE TIPO RASH CUTÂNEO, EFEITOS SOBRE A CAPACIDADE DE DIRIGIR E OPERAR MÁQUINAS: O HALOPERIDOL PODE PRODUZIR SONOLÊNCIA. ISTO URTICÁRIA E ANAFILAXIA SÃO EXCEPCIONAIS. OUTROS EFEITOS DESCRITOS SÃO: CONSTIPAÇÃO, VISÃO TURVA, BOCA PODE FAZER COM QUE VOCÊ FIQUE MENOS ATENTO E REDUZ A SUA CAPACIDADE DE DIRIGIR E OPERAR MÁQUINAS. SECA, RETENÇÃO URINÁRIA, PRIAPISMO, DISFUNÇÃO ERÉTIL, EDEMA PERIFÉRICO, HIPERSUDORESE, DIAFORESE, ENTÃO, VOCÊ SÓ DEVERÁ DIRIGIR E OPERAR MÁQUINAS SE SEU MÉDICO PERMITIR.
HIPERSALIVAÇÃO E PIROSE. LARINGOSPASMO, BRONCOESPASMO E RESPIRAÇÃO MAIS PROFUNDA, REAÇÕES DURANTE O TRATAMENTO, O PACIENTE NÃO DEVE DIRIGIR VEÍCULOS OU OPERAR MÁQUINAS, POIS SUA HABILIDADE E
ACNEIFORMES E MACULOPAPULARES, CASOS ISOLADOS DE FOTOSSENSIBILIDADE, PERDA DE CABELO E DESREGULAÇÃO ATENÇÃO PODEM ESTAR PREJUDICADAS.
Interações medicamentosas: Este medicamento potencializa os efeitos do álcool. Portanto, você deve evitar ingerir álcool se estiver
Superdose:
Sintomas: Geralmente, os sintomas constituem uma exacerbação dos efeitos farmacológicos e reações adversas já referidas O haloperidol pode alterar os efeitos de alguns medicamentos, como por exemplo: medicamentos que lentificam suas reações: soníferos,
predominando as do tipo extrapiramidal, hipotensão e sedação. Pode ocorrer igualmente hipertensão e não hipotensão. Em casos tranquilizantes e alguns analgésicos potentes; medicamentos para depressão; medicamentos para pressão alta; medicamentos para extremos, o paciente pode apresentar-se comatoso, com depressão respiratória e hipotensão, às vezes grave o suficiente para determinar epilepsia; medicamentos para doença de Parkinson.
Uso durante a Gravidez e Amamentação: Em estudos populacionais amplos, nenhum aumento significante nas anormalidades fetais
Existe também um risco de arritmias ventriculares associadas a um prolongamento do intervalo QT.
foi associado com o uso de haloperidol. Foram descritos casos isolados de má formação fetal após a administração de haloperidol, a Tratamento: Como não existem antídotos específicos, o tratamento é principalmente de suporte. As medidas preconizadas são a lavagem maioria associados a outros medicamentos. O haloperidol poderá ser usado durante a gravidez, quando os benefícios forem claramente
gástrica, indução emética e administração de carvão ativado, além dos cuidados necessários para se garantir uma boa ventilação superiores aos potenciais riscos fetais.
pulmonar. Para pacientes comatosos, as vias aéreas devem ser restabelecidas para uso de uma via orofaríngea ou tubo endotraqueal. Em O haloperidol é excretado no leite materno. Se a sua administração é considerada essencial para a mãe, os benefícios da amamentação caso de depressão respiratória pode ser necessária ventilação artificial. ECG e sinais vitais devem ser monitorizados até que estejam devem ser balanceados com os riscos potenciais. normais. Arritmias cardíacas severas deverão ser tratadas com medidas antiarrítmicas adequadas.
Sintomas extrapiramidais têm sido observados em crianças lactantes de mulheres tratadas com haloperidol. Hipotensão e colapso circulatório devem ser controlados com infusão de soro, plasma ou albumina concentrada e agentes depressores Não deve ser utilizado durante a gravidez e a amamentação, exceto sob orientação médica.
(dopamina, noradrenalina). Não utilizar adrenalina, que pode causar hipotensão grave quando usada com haloperidol. Em casos de Informe a seu médico ou cirurgião-dentista se ocorrer gravidez ou iniciar amamentação durante o uso deste medicamento.
reações extrapiramidais importantes, administrar medicação antiparkinsoniana por via parenteral.
Este medicamento é contraindicado na faixa etária pediátrica.
Armazenagem: DURANTE O CONSUMO ESTE PRODUTO DEVE SER MANTIDO NO CARTUCHO DE CARTOLINA, CONSERVADO Informe ao médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis.
EM TEMPERATURA AMBIENTE (15 A 30°C). PROTEGER DA LUZ E UMIDADE.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.
NÃO USE MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE.
Nº do lote e data de fabricação: VIDE CARTUCHO Modo de uso:
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
Aspecto físico: Solução límpida e incolor.
SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DE RECEITA
Posologia: O haloperidol, sendo uma medicação terapeuticamente potente, deverá ter sua dose média diária ajustada segundo a
gravidade de cada caso e a sensibilidade individual do paciente, conforme critério médico. Os estudos clínicos preconizam as seguintes
Administração parenteral: Indicada nos estados agudos de agitação psicomotora ou quando a via oral é impraticável. Injetar de 2,5a 5mg por via intramuscular ou endovenosa lenta. Repetir após cada hora, se necessário, embora intervalos de 4 a 8 horas sejam satisfatórios. M.S. Nº 1.0370.0390
Tão logo seja possível, esta via será substituída pela via oral.
Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação (VIDE CARTUCHO).
Não use o medicamento com prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento. Atenção: O número
de lote e data de validade gravados na ampola podem se tornar ilegíveis ou até serem perdidos caso a embalagem entre em contato com
REAÇÕES ADVERSAS: COM QUANTIDADES PEQUENAS DE HALOPERIDOL(1 A 2MG POR DIA), OS EFEITOS COLATERAIS SÃO
BRANDOS E RAROS. COM DOSES MAIORES, AUMENTA A CHANCE DE OCORRÊNCIA DE DETERMINADOS EFEITOS.
-VOCÊ PODE SENTIR SONOLÊNCIA E CANSAÇO SE A DOSE DO MEDICAMENTO FOR RAZOAVELMENTE ALTA. ISTO PODE OCORRER ESPECIALMENTE NO INÍCIO DO TRATAMENTO.
-PODEM OCORRER PROBLEMAS DE MOVIMENTO QUE GERALMENTE SÃO LEVES, E INCLUEM: TREMOR, AGITAÇÃO NAS ORGÂNICA GRAVE. FORMAS GRAVES DE NEFRO E CARDIOPATIA. DEPRESSÃO ENDÓGENA. PRIMEIRO TRIMESTRE DA PERNAS E RIGIDEZ MUSCULAR. SE ISTO OCORRER, CONTACTE SEU MÉDICO.
-PACIENTES QUE TOMAM HALOPERIDOL POR TEMPO PROLONGADO, PODEM APRESENTAR CONTRAÇÕES INVOLUNTÁRIAS Modo de usar e cuidados de conservação depois de aberto: DURANTE O CONSUMO ESTE PRODUTO DEVE SER MANTIDO NO
DOS MÚSCULOS DA FACE, DA LÍNGUA E QUEIXO, TREMORES DE DEDOS E MÃOS, NÁUSEAS, PRISÃO DE VENTRE E CARTUCHO DE CARTOLINA, CONSERVADO EM TEMPERATURA AMBIENTE (15 A 30°C). PROTEGER DA LUZ E UMIDADE.
SENSAÇÃO DE BOCA SECA. CASO OCORRA ALGUNS DESSES EFEITOS, AVISE SEU MÉDICO.
Posologia: O haloperidol, sendo uma medicação terapeuticamente potente, deverá ter sua dose média diária ajustada segundo a
-SE VOCÊ APRESENTA CONVULSÕES (POR EXEMPLO, SE VOCÊ É EPILÉPTICO OU ESTÁ SE CURANDO DE UM PROBLEMA DE gravidade de cada caso e a sensibilidade individual do paciente, conforme critério médico. Os estudos clínicos preconizam as seguintes ALCOOLISMO), A CHANCE DESTE SINTOMA OCORRER SERÁ LIGEIRAMENTE MAIOR APÓS O INÍCIO DO TRATAMENTO COM doses:HALOPERIDOL.
Administração parenteral: Indicada nos estados agudos de agitação psicomotora ou quando a via oral é impraticável. Injetar de 2,5 a
-DURANTE UM TRATAMENTO PROLONGADO, AS MULHERES PODEM PRODUZIR SECREÇÃO DE LEITE OU TER MENSTRUAÇÃO 5mg por via intramuscular ou endovenosa lenta. Repetir após cada hora, se necessário, embora intervalos de 4 a 8 horas sejam IRREGULAR, ENQUANTO QUE OS HOMENS PODEM APRESENTAR AUMENTO DOS SEIOS.
satisfatórios. Tão logo seja possível, esta via será substituída pela via oral.
-A SENSIBILIDADE EXACERBADA (ALERGIA) AO HALOPERIDOL É RARA. ELA PODE SER RECONHECIDA, POR EXEMPLO, POR ADVERTÊNCIAS: RAROS CASOS DE MORTE SÚBITA TÊM SIDO REPORTADOS EM PACIENTES PSIQUIÁTRICOS QUE
ERUPÇÃO DE PELE, COCEIRA, ENCURTAMENTO DA RESPIRAÇÃO OU INCHAÇO DA FACE. NA OCORRÊNCIA DE QUALQUER UM RECEBEM ANTIPSICÓTICOS, INCLUINDO O HALOPERIDOL. COMO UM PROLONGAMENTO DO INTERVALO QT TEM SIDO
DESTES SINTOMAS, CONTACTE SEU MÉDICO IMEDIATAMENTE.
OBSERVADO DURANTE O TRATAMENTO COM HALOPERIDOL, RECOMENDA-SE CAUTELA EM PACIENTES COM CONDIÇÕES -A OCORRÊNCIA DE OUTROS EFEITOS COLATERAIS É RARA, TAIS COMO: SENSAÇÃO DE QUE A DOENÇA PODE PIORAR, DE INTERVALO QT PROLONGADO (SÍNDROME QT, HIPOCALEMIA, FÁRMACOS QUE PROLONGAM O INTERVALO QT), NERVOSISMO, CONFUSÃO, DEPRESSÃO, DISTÚRBIOS DO SONO, DOR DE CABEÇA, TONTURA OU ALTERAÇÃO DO PESO PRINCIPALMENTE QUANDO O HALOPERIDOL É ADMINISTRADO PARENTERALMENTE.
CORPORAL.
COMO HALOPERIDOL É METABOLIZADO NO FÍGADO, SUA UTILIZAÇÃO EM PACIENTES COM DOENÇA HEPÁTICA DEVE SER -EM CASOS EXTREMAMENTE RAROS, PODEM OCORRER BATIMENTOS CARDÍACOS IRREGULARES. SE ISTO OCORRER FEITA COM CUIDADO. O HALOPERIDOL PODE PROVOCAR CONVULSÕES. ELE DEVE SER USADO COM CUIDADO EM CONTACTE SEU MÉDICO.
SITUAÇÕES PREDISPONDO A CONVULSÕES (ABSTINÊNCIA ALCOÓLICA, DOENÇA CEREBRAL) E EM PACIENTES -SE VOCÊ OBSERVAR FEBRE ALTA, RIGIDEZ MUSCULAR, TRANSPIRAÇÃO ANORMAL, RESPIRAÇÃO ACELERADA OU EPILÉPTICOS. O HALOPERIDOL DEVE SER USADO COM CUIDADO EM PACIENTES COM HIPERTIREOIDISMO, DEVIDO AO REDUÇÃO DO ESTADO DE ALERTA, CONTACTE SEU MÉDICO IMEDIATAMENTE.
RISCO DA TIROXINA FACILITAR A TOXICIDADE DO HALOPERIDOL. NESTES PACIENTES, UM TRATAMENTO ADEQUADO DA Conduta em caso de superdose: Se você ingeriu acidentalmente uma quantidade maior de haloperidol, contacte seu médico DOENÇA TIREOIDIANA DEVE ACOMPANHAR O TRATAMENTO ANTIPSICÓTICO. NA ESQUIZOFRENIA, A RESPOSTA AO
imediatamente. Os possíveis sinais de uma superdose são: diminuição do estado de alerta, tremor severo e contração muscular TRATAMENTO PODE NÃO SER IMEDIATA. IGUALMENTE, SE O TRATAMENTO É INTERROMPIDO, O REAPARECIMENTO DOS
importante. Nestes casos, procure seu médico.
SINTOMAS PODE NÃO SER APARENTE POR VÁRIAS SEMANAS OU MESES. SINTOMAS DE ABSTINÊNCIA INCLUINDO NÁUSEA, Cuidados de conservação e uso: DURANTE O CONSUMO ESTE PRODUTO DEVE SER MANTIDO NO CARTUCHO DE CARTOLINA, VÔMITO E INSÔNIA SÃO RAROS, MESMO APÓS A INTERRUPÇÃO ABRUPTA DE ALTAS DOSES DE ANTIPSICÓTICOS. A
CONSERVADO EM TEMPERATURA AMBIENTE (15 A 30°C). PROTEGER DA LUZ E UMIDADE.
INTERRUPÇÃO DO TRATAMENTO DEVE SER GRADUAL DEVIDO AO RISCO DE RECAÍDAS. O HALOPERIDOL NÃO DEVE SER TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
USADO ISOLADAMENTE EM CASOS EM QUE A DEPRESSÃO É PREDOMINANTE. ELE PODE SER ASSOCIADO AOS ___________________________________________________________________________________________________________
ANTIDEPRESSIVOS NOS QUADROS DE DEPRESSÃO COM CARACTERÍSTICAS PSICÓTICAS. PACIENTES QUE NECESSITEM INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE
MEDICAÇÃO ANTIPARKINSONIANA DEVEM CONTINUAR RECEBENDO TAIS TRATAMENTOS APÓS A INTERRUPÇÃO DO Características farmacológicas:
HALOPERIDOL, POIS A ELIMINAÇÃO DO HALOPERIDOL É MAIS LENTA E ELES PODEM DESENVOLVER OU APRESENTAR UM Propriedades Farmacodinâmicas: O haloperidol é um neuroléptico do grupo das butirofenonas. Ele é um bloqueador potente dos AUMENTO DOS SINTOMAS EXTRAPIRAMIDAIS MESMO APÓS A INTERRUPÇÃO DO NEUROLÉPTICO. NÃO SE DEVE
receptores dopaminérgicos centrais, é classificado como um neuroléptico incisivo.
ESQUECER DO RISCO DE AUMENTO DA PRESSÃO INTRAOCULAR QUANDO SE USA MEDICAMENTOS ANTICOLINÉRGICOS, Como consequência direta do bloqueio dopaminérgico haloperidol apresenta uma ação incisiva sobre os delírios e alucinações INCLUINDO OS AGENTES ANTIPARKINSONIANOS, ASSOCIADOS AO HALOPERIDOL.
(provavelmente a nível mesocortical e límbico) e uma ação sobre os gânglios da base (sistema nigro-estriado). O haloperidol é um sedativo EMBORA A EXPERIÊNCIA CLÍNICA TENHA REVELADO QUE HALOPERIDOL PODE SER EMPREGADO POR TEMPO eficiente, o que explica seus efeitos favoráveis na mania, agitação psicomotora e outras síndromes de agitação. A atividade em nível dos PROLONGADO, ATENÇÃO DEVE SER DADA A PACIENTES DO SEXO FEMININO COM RISCO DE GRAVIDEZ.
gânglios da base é provavelmente responsável pelos efeitos extrapiramidais (distonia, acatisia e parkinsonismo). Os efeitos COMO OS PACIENTES IDOSOS SÃO SENSÍVEIS AOS EFEITOS DE HALOPERIDOL, RECOMENDA-SE PRUDÊNCIA NA antidopaminérgicos periféricos explicam a ação contra náuseas e vômitos (via quimiorreceptores - zona do gatilho), o relaxamento dos POSOLOGIA, A FIM DE SE EVITAR EFEITOS SECUNDÁRIOS EXTRAPIRAMIDAIS E POSSÍVEIS ALTERAÇÕES DE APETITE E DO esfíncteres gastrintestinais e o aumento na liberação de prolactina (através da inibição da atividade do PIF - Fator de Inibição da Prolactina) SONO.
em nível de adeno-hipófise. A ADMINISTRAÇÃO DEVE TAMBÉM SER CAUTELOSA EM PACIENTES COM DISTÚRBIOS CARDIOVASCULARES GRAVES, COM Propriedades Farmacocinéticas: O pico plasmático do haloperidol ocorre 20 minutos após a administração intramuscular. Um intervalo HISTÓRIA DE REAÇÃO ALÉRGICA A DROGAS OU USO DE ANTICOAGULANTES OU ANTICONVULSIVANTES.
de concentração plasmática variando de 4 µg/L até 20-25 µg/L seria necessário para uma resposta terapêutica. O haloperidol atravessa a O USO DE TRANQUILIZANTES MAIORES COMO O HALOPERIDOL PODE TAMBÉM ESTAR ASSOCIADO A CASOS DE barreira hematoencefálica facilmente. A ligação às proteínas plasmáticas é de 92%. A excreção é feita através das fezes (60%) e da urina BRONCOPNEUMONIA, RAZÃO PELA QUAL ATENÇÃO DEVE SER DADA AO EXAME FÍSICO DOS PULMÕES PRINCIPALMENTE (40%). Existe uma grande variabilidade interindividual, mas pequena intra-individual, nos parâmetros farmacocinéticos do haloperidol. Isto EM IDOSOS.
pode ser devido à metabolização hepática do haloperidol. Os metabólitos não apresentam atividade neuroléptica.
Efeitos sobre a capacidade de dirigir veículos e utilizar máquinas: O haloperidol pode reduzir a capacidade de atenção,
Resultados de eficácia: Um estudo duplo-cego envolvendo 105 pacientes sofrendo de episódios severos de náusea e vômito devido a principalmente no início do tratamento, redução essa que pode ser potencializada pela ingestão de bebidas alcoólicas. Durante o
desordens gastrintestinais, foi realizado para verificar a eficácia do haloperidol em comparação com placebo por um período de 12 horas tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.
de estudo. Cinquenta e cinco pacientes receberam uma única injeção intramuscular de haloperidol (1,0mg/mL) e 50 pacientes receberam Uso durante a Gravidez e Amamentação: Em estudos populacionais amplos, nenhum aumento significante nas anormalidades fetais
placebo. Entre os pacientes recebendo haloperidol 89% obtiveram uma resposta marcante ou moderada, enquanto apenas 38% daqueles foi associado com o uso de haloperidol. Foram descritos casos isolados de má formação fetal após a administração de haloperidol, a
recebendo placebo obtiveram o mesmo grau de alívio.
maioria associados a outros medicamentos. O haloperidol poderá ser usado durante a gravidez, quando os benefícios forem claramente Em um estudo duplo-cego, randomizado, controlado com placebo durante 6 semanas (fase A), 2 - 3mg/dia de haloperidol (dose padrão), e superiores aos potenciais riscos fetais.
0,50 - 0,75mg/dia de haloperidol (dose baixa), foram comparados em 71 pacientes com Doença de Alzheimer. Para os 60 pacientes que O haloperidol é excretado no leite materno. Se a sua administração é considerada essencial para a mãe, os benefícios da amamentação completaram a fase A, a dose padrão de haloperidol foi eficaz e superior à dose baixa e ao placebo na Escala Breve de Avaliação devem ser balanceados com os riscos potenciais. Psiquiátrica e Fatores Psicóticos e na agitação psicomotora. A taxa de resposta de acordo com os 3 critérios foi maior com a dose padrão Sintomas extrapiramidais têm sido observados em crianças lactantes de mulheres tratadas com haloperidol. (55 - 60%) do que com a dose baixa (25 - 35%) e com o placebo (25 - 30%).
Categoria de risco na gravidez: Categoria C.
Foi realizado um estudo aberto de curta duração para avaliar a segurança e a eficácia de haloperidol no controle dos sintomas de Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.
esquizofrenia aguda. Foram selecionados 25 pacientes (idade média de 26 anos) os quais receberam doses iniciais variando de 2,5- 10mg Uso em idosos, crianças e outros grupos de risco:
de haloperidol por via intramuscular avaliando-se os efeitos a cada 30 minutos. A dose média utilizada durante o período de 6 horas de Idosos: Como os pacientes idosos são sensíveis aos efeitos de haloperidol, recomenda-se prudência na posologia a fim de se evitar
estudo foi de 22,5mg, ocorrendo melhora marcante em 6 casos, moderada em 11 e menos efetiva em 5.
efeitos secundários extrapiramidais e possíveis alterações do apetite e do sono.
Em um estudo duplo-cego com pacientes esquizofrênicos, foi administrado haloperidol na forma de comprimidos e um controle (placebo) Crianças: Segurança e eficácia não foram estabelecidas quanto ao uso pediátrico.
por um período de 6 semanas, com um esquema de doses variando de 1,0 - 6,0mg. O haloperidol demonstrou ser significativamente mais Sintomas extrapiramidais têm sido observados em crianças lactantes de mulheres tratadas com haloperidol.
efetivo que o controle na melhora dos sintomas (p entre 0,01 e 0,025).
Portadores de doença hepática: Como haloperidol é metabolizado no fígado, sua utilização em pacientes com doença hepática deve
Christman R.S., et al. Low-Dose Haloperidol as Antiemetic Treatment in Gastointestinal Disorders: A Double-Blind Study. Current Portadores de distúrbios cardiovasculares: A administração deve também ser cautelosa em pacientes com distúrbios
Therapeutic Research, 1974; 16 (11): 1171 - 1176.
Devanand D.P., et al. A Randomized, Placebo-Controlled Dose-Comparison Trial of Haloperidol for Psychosis and Disruptive Behaviors in Interações medicamentosas: Como é o caso para todos os neurolépticos, haloperidol pode aumentar a depressão do SNC causada
Alzheimers Disease. Am J Psychiatry, 1998; 155: 1512 - 1520.
por outros depressores centrais, como álcool, hipnóticos, sedativos e analgésicos potentes. Um aumento dos efeitos centrais foi relatado Vann L.J. Haloperidol in the Treatment of Behavioural Disorders in Children and Adolescents. Canada Psychiat. Ass. J., 1969; 14 (2): 217 - quando haloperidol é associado a metildopa. O haloperidol pode prejudicar o efeito antiparkinsoniano da levodopa. O haloperidol inibe o 220.
metabolismo de antidepressivos tricíclicos, aumentando os níveis plasmáticos destes medicamentos. Isto pode resultar em um aumento Hopkin, J.T. et al. Injectable Haloperidol in the Control of Acute Schizophrenia: Efficacy and Safety. Current Therapeutic Research, 1980; 27 da toxicidade dos antidepressivos tricíclicos (efeitos colinérgicos, toxicidade cardiovascular, baixa do limiar convulsivo). Em estudos (4): 620 - 626.
farmacocinéticos, têm sido reportados níveis de haloperidol moderadamente elevados quando o haloperidol é administrado Rees L., et al. A Study of the Value of Haloperidol in the Management and Treatment of Schizophrenic and Maniac Patients. International concomitantemente com os seguintes fármacos: quinidina, buspirona, fluoxetina. Neste caso, pode ser necessário reduzir a dose do Journal of Neuropsychiatry, 1965; 1 (3): 263 - 266.
haloperidol. O uso prolongado de agentes indutores enzimáticos, tais como carbamazepina, fenobarbital e rifampicina, em associação ao Indicações: Delírios e alucinações na esquizofrenia aguda e crônica; na paranoia, na confusão mental aguda e no alcoolismo; mania, haloperidol, pode reduzir significativamente os níveis plasmáticos do haloperidol. Neste caso, a dose de haloperidol deverá ser
demência, alcoolismo, oligofrenia; agitação e agressividade no idoso; distúrbios graves do comportamento e nas psicoses infantis reajustada, quando necessário. Após interrupção do tratamento com tais fármacos, pode ser necessária a redução das doses de
acompanhadas de excitação psicomotora; movimentos coreiformes; soluços; tiques, disartria; estados impulsivos e agressivos; síndrome haloperidol. Em raros casos os seguintes sintomas foram relatados durante uso concomitante de lítio e haloperidol: encefalopatia,
de Gilles de la Tourette; náuseas e vômitos incoercíveis de várias origens, quando outras terapêuticas mais específicas não foram sintomas extrapiramidais, discinesia tardia, síndrome neuroléptica maligna, distúrbios do tronco cerebral, síndrome cerebral aguda e
suficientemente eficazes.
coma. Muitos destes sintomas foram reversíveis. Não está estabelecido ainda se estes casos representam uma entidade clínica distinta. CONTRAINDICAÇÕES: ESTADOS COMATOSOS, DEPRESSÃO DO SNC DEVIDO AO ÁLCOOL OU OUTRAS DROGAS OU Em todo caso, se aparecerem tais sintomas em pacientes recebendo lítio e haloperidol concomitantemente, o tratamento deve ser
MEDICAMENTOS, DOENÇA DE PARKINSON, HIPERSENSIBILIDADE CONHECIDA AO MEDICAMENTO, LESÃO NOS GÂNGLIOS DE suspenso imediatamente. Antagonismo ao efeito anticoagulante da fenindiona foi relatado. O haloperidol pode antagonizar a ação da BASE.
adrenalina e outros agentes simpaticomiméticos e reverter os efeitos hipotensores de bloqueadores adrenérgicos como a guanetidina. AFECÇÕES NEUROLÓGICAS ACOMPANHADAS DE SINTOMAS PIRAMIDAIS OU EXTRAPIRAMIDAIS. ENCEFALOPATIA REAÇÕES ADVERSAS A MEDICAMENTOS: COM DOSES BAIXAS (1-2MG/DIA), OS EFEITOS ADVERSOS DO HALOPERIDOLSÃO

Source: http://www.teuto.com.br/pdf/20130123155147_473234780836422022dc6c19ac6c0a71.pdf

hospitalpasteurctec.com.ar

ANGOR INESTABLE ó DE PRINZMETAL Aparece durante el reposo, muy frecuentemente en el momento del sueño. El paciente refiere opresión o dolor retroesternal progresivamente intenso acompañado de palidez, diaforesis, angustia y usualmente tiene una duración de 5 a 10 minutos, aunque puede llegar a durar 30 o más minutos. Se origina por espasmo coronario y característicamente el ECG tomado

Microsoft word - fbfacteursderisque7mars06cam.doc

L’épidémiologie et les facteurs de risque chez les enfants atteints du trouble déficitaire d’attention avec ou sans hyperactivité : résultats préliminaires 1 1. Cameron Montgomery , Ph.D. Faculté d'éducation-Faculty of Education Université d'Ottawa-University of Ottawa 145, rue Jean-Jacques-Lussier-145 Jean-Jacques Lussier St. site web/web site : http://aix1.uottawa.ca/~

Copyright © 2010-2014 Medicament Inoculation Pdf